Marketing digital deixou de ser novidade há algum tempo. O número de pessoas conectadas à internet aumenta a cada dia e é preciso entender este comportamento para adequarmos a ele. Mas nós já falamos sobre isto aqui.

Esta adaptação é um dos passos mais importantes para o marketing digital em 2016. Vários são os fatores que fazem essa mudança essencial: o aumento do uso do ad blocking, os aplicativos de mensagens one-to-one, a necessidade de otimizar conteúdo para cada plataforma.

Confira as tendências para 2016

Plataformas de mensagens instantâneas

Aplicativos como Whatsapp e Facebook Messenger crescem cada vez mais. Há uma previsão de expansão, na qual o número de usuários deve chegar a 3,6 bilhões em 2018. Este número mostra um novo desafio aos anunciantes: se comunicar com os usuários sem incomodá-los.

Além disso, as pessoas estão deixando de usar redes sociais e compartilham conteúdo nestes aplicativos. O próprio Facebook percebeu que apenas 20% dos adolescentes utiliza a rede social para postar fotos e vídeos.

Um estudo de 2013 mostra que estes adolescentes estão abandonando a rede social por terem que dividir espaço com seus pais. Muitas vezes, eles querem compartilhar algo com os amigos, mas os pais acabam checando o comportamento deles via Facebook.

E é exatamente ai que aplicativos como Whatsapp, Facebook Messenger e Snapchat entram. Os adolescentes podem escolher com quem compartilham seus vídeos, fotos e mensagens, sem terem seus pais os vigiando.

Por isso é necessário entender esta mudança e acompanhar o mercado em relação aos aplicativos e mensagens one-to-one.

Falando em Snapchat…

Há certa divergência ao falar sobre o aplicativo: alguns especialistas acreditam que o Snapchat não traz beneficio nenhum ao anunciante, por ser um novo estilo de televisão, no qual o usuário consome conteúdo, mas não interage com a marca; já outros acreditam que este novo modelo tem tudo para dar certo, pois é um ótimo jeito de entender o que o consumidor busca.

Apesar das opiniões diferentes, uma coisa é certa: o Snapchat traz uma abordagem diferente, no qual os seguidores buscam consumir conteúdos cada vez mais instantâneos e verdadeiros.

A luta contra o Ad Blocking

Em um ano, o uso do software que bloqueia as propagandas da internet aumentou em 48%. Isto faz com que as marcas tenham de repensar o papel do digital. Agora, é preciso focar ainda mais em mídia social para gerar buzz para as marcas.

Vídeos devem ser adaptados para cada plataforma

Postar um vídeo no canal do YouTube de uma marca e postar o link nas outras redes sociais não agradam mais o público. Agora, para aumentar a chance de sucesso, é preciso otimizar o vídeo para cada plataforma. Assim, um mesmo vídeo terá sua versão para o YouTube, outra para Facebook, Instagram, Twitter e Vine. É preciso entender que cada uma dessas redes possuem diferentes tipos de público e, por isso, merecem diferentes adaptações.

Interação do online e off-line

Nós já sabemos que as pessoas tendem a comentar os acontecimentos off-line nas plataformas online. Isto acontece com reality shows, novelas, esportes e eventos. Por isso, não podemos esquecer os Jogos Olímpicos que acontecem no Rio de Janeiro este ano. O evento será um divisor de águas quanto à interação das marcas com o público nas mídias sociais.

Em tempos de mudança constante, aqueles que conseguirem entender o comportamento do público têm grandes chances de alcançar seus objetivos nas redes sociais. Já aqueles que não compreenderem os usuários, precisarão aperfeiçoar suas interações se não quiserem morrer na praia.

Há 8 anos, a agência que entrega.

Se liga neste conteúdo também: