Nós já falamos aqui sobre o Mobile Day, evento do Google sobre a importância do smartphone na atualidade. Lá, eles apontaram números muito interessantes:

  • 6 em cada 10 espectadores usam o mobile ao mesmo tempo que assistem TV. Desses, 7 em 10 prestam mais atenção no mobile;
  • 86% dos usuários fazem pesquisa de compras no mobile;
  • Apenas 28% do tempo gasto em smartphones é com redes sociais e entretenimento;
  • 2 bilhões de views do YouTube são feitos a partir do celular diariamente. Isso equivale à metade dos views do site de vídeos;
  • 82% dos usuários consultam seus smartphones enquanto estão em uma loja decidindo o que comprar. Desses, um em cada dez acaba mudando sua decisão de compra.

Não restam dúvidas de que o mobile é um dos canais mais importantes para o marketing. O problema é que os investimentos nele ainda são pequenos e não acompanham seu crescimento. Existem muitas melhorias que poderiam ser feitas em publicidade em dispositivos móveis.

Anunciantes estão ficando mais atentos a esta tendência e, segundo dados do eMarketer,  empresa especializada em pesquisas sobre o mercado digital, a participação dos investimentos no Brasil deve subir de 40% para 46% em 2 anos.

Tendências do mobile em 2016

Muitos reclamam da dificuldade em mensurar campanhas em mobile. A tendência é que, ainda este ano, estas métricas se tornem mais transparentes para os anunciantes. Ai, ficará muito mais fácil entender os resultados de campanhas publicitárias e apresentá-los aos clientes.

Outra tendência é o uso de todos os recursos presentes em smartphones. Nada de comunicação de forma tradicional. Em 2016, os anunciantes passarão a integrar diferentes funcionalidades dos aparelhos para melhorar suas estratégias.

E-mail, YouTube, Facebook… Quantos de vocês acessam a estes sites por app? Provavelmente, muitos. Os aplicativos serão mais utilizados a partir de agora. Cada vez mais, as pessoas deixam de usar seus navegadores e usam apps. E as marcas precisam acompanhar esta realidade.

A partir de 2016, o tempo gasto no celular será maior que qualquer outro aparelho digital. Quase 30% do nosso tempo será gasto em dispositivos móveis, o que facilitará para várias marcas compreender as decisões de compras de seus clientes.

Há 8 anos, a agência que entrega.

Se liga neste conteúdo também: